Pró-Saúde

  • Aumentar tamanho da fonte
  • Tamanho da fonte padrão
  • Diminuir tamanho da fonte
Reference Details
Nogueira, Danielle, Faerstein, Eduardo, Rugani, In?¬s, Chor, Dora, Lopes, Claudia S. and Werneck, Guilherme L. (2009), "Atividade física de lazer no início da vida adulta prediz a atividade física posterior? Estudo Pró-Saúde.", Revista Brasileira de Epidemiologia, 12: 3-9.

Abstract:
INTRODUÇÃO: Atividade física é um comportamento de saúde relativamente estável, em geral determinado no início da vida adulta. Atividade física de lazer (AFL) é um dos poucos comportamentos benéficos à saúde mais prevalente entre homens que entre mulheres. MÉTODOS: Foram analisados dados de 3.199 participantes do Estudo Pró-Saúde - coorte de funcionários de universidade no Rio de Janeiro, coletados por meio de questionário multidimensional e autopreenchível. A associação entre AFL no início da vida adulta e posteriormente foi analisada com uso de regressão logística multinomial, com estimativas de razões de chance (odds ratio) e seus respectivos intervalos de 95% de confiança considerando três categorias de desfecho: sedentários, insuficientemente ativos e ativos. AFL pregressa foi agrupada em 3 categorias: nunca/raramente (categoria de referência), às vezes, quase sempre/sempre. Estimativas foram ajustadas por idade, escolaridade, escolaridade dos pais e cor/raça. RESULTADOS:Homens que se engajavam em AFL às vezes e quase sempre/sempre no início da vida adulta tiveram, respectivamente, OR = 1,42 (IC 95%: 0,70-2,89) e OR = 3,33 (IC 95%: 1,82-6,10) de ser fisicamente ativos em idade posterior do que os sedentários. Entre as mulheres, os odds ratios foram menores: OR = 1,19 (IC 95%: 0,79-1,79) e OR =1,42 (IC 95%: 1,00-2,04). CONCLUSÃO:A prática de AFL durante o início da vida adulta apresentou associação com atividade física posterior, e essa associação foi mais expressiva em homens do que em mulheres. Políticas públicas que encorajem a AFL entre os jovens, com esforços específicos direcionados às mulheres, poderiam aumentar a proporção de adultos fisicamente ativos.